segunda-feira, 21 de abril de 2008

A salsa

Muitas vezes interrogo-me porque certas sementes nascem onde querem e não onde eu as semeio. Será o vento que as leva? Será que os cães ou os gatos arranharam a terra e elas foram atiradas para outro lado? Não sei ainda bem a resposta a estas interrogações que se põem a uma simples amadora de jardinagem.


Tenho um exemplo, bem evidente do que acabo de citar, na salsa que, normalmente, semeio numa floreira ou, como foi o caso deste ano, espalhei umas sementinhas num bocadinho de terra que preparei para o efeito. Não nasceu nada no local onde as tinha posto e apareceram alguns pés desta aromática, tão essencial na minha cozinha, entre as pedras do chão.



Como é também o caso desta planta de jardim que nasceu na rua junto de uma grelha de escoamento das águas pluviais, sem ninguém lá ter posto qualquer semente.



Mas agora calculem a minha admiração quando numa manhã, durante o meu passeio matinal, deparo com este enorme tufo de ervilhas de cheiro nascido num terreno inculto, cheio de ervas, e que até está a servir de depósito de entulho dumas obras que estão a ser feitas lá na rua.


A Natureza tem destas coisas e eu sujeito-me à sua vontade e querer, deixando que a salsa nasça onde ela lhe apetece e quer.

5 comentários:

laida disse...

Pergunta que eu propria já fiz,

na beira do passeio frente á minha casa nasceu um pézinho de amor perfeito (um muito miudinho que por aqui se vê muito) estava ali entalado entre o cimento do muro e do passeio,arranquei-o com cuidado e plantei-o no jardim,morreu...
Fiquei triste eu só o queria por num sitio mais proprio.Enfim coisas da natureza.
bjs

Baby disse...

É mesmo, tudo se faz segundo as leis da natureza, e não como nós programos e desejamos, mas mesmo nascida fora da floreira, a salsa está linda e viçosa e ainda bem, pois também concordo que ela é indispensável na nossa cozinha.
Boas colheitas.
Um beijo.

Gerlane disse...

Ah! Como eu queria ter este prazer que tu tens: plantar, colher, revolver a terra, sentir o cheiro da lavoura.

Abraços!

Florescer disse...

Mas é claro!!!
Quando nós estamos a dormir, existem uns duendes que trabalham na sua forma mais secreta, para alguém muito especial, que trata de fazer brotar essa plantinhas nos sitios mais incriveis que nós não temos acesso...
Percebes agora???
Pois... é dificil de explicar, quanto mais de ver...
Beijinhos e bom fim de semana.

TMara disse...

delicioso este teu jardom D'abrolhos.
sabes, desde há muitos anos que a única zona do algarev que continua a atrair-me é a de Sagres. O resto, com toda aquela urbanização monstruosa é um susto. Par al~em de gostar mais do mar, MAR.
Bjs
Luz e paz