terça-feira, 1 de abril de 2008

ESTEVAS

As estevas fazem parte da flora que se estende nas charnecas circundantes do meu concelho. É um arbusto a que chamo de "lutador" pois nasce e fica instalado nos intervalos das rochas, rasga os chãos xistosos e sobrevive.

Um dos meus passeios preferidos é ir até à praia do Castelejo, sentir a humidade maritima envolver-me, aspirar o doce salgado da maresia e observar as brancas flores das estevas que quase descem até à praia.

É uma flôr simples, bem singela e atractiva para as abelhas, portadora de cinco pétalas mas, duma brancura impressionante realçada pelo tom verde escuro do arbusto que, por sua vez, é recoberto de uma resina aromática, o ládano usado na perfumaria.
Esta é a altura do ano, tempo de renovação,em que estão a desabrochar cobrindo a serra com um enorme manto branco e, embora cada flor não dure mais de que um dia, elas oferecem-nos a sua beleza por mais tempo, devido a uma longa sucessão das mesmas.

O fruto é uma pequena cápsula globosa com vários compartimentos a que nós, quando crianças donas de poucos brinquedos, chamávamos "piorras" e rodando o pequeno "pé" entre o dedo médio e o polegar faziamo-las dançar tal como um pião.


Hoje ofereço-vos a brancura da flôr da esteva e os últimos versos da "Charneca em flor" da Florbela Espanca"


Olhos a arder em êxtases de amor,
boca a saber a sol, a fruto, a mel:
Sou a charneca rude a abrir em flor!

5 comentários:

Vieira Calado disse...

Também ia muito à praia do Castelejo,
sempre tinha algum tempo livre na Escola.
A esteva é «nossa», criatura por excelência das terras barlaventinas de montanha.
Gosto muito em ouvi-la.
Beijinhos

Gerlane disse...

Lindo o teu blog! Vi-me passeando em um jardim.

Beijos pra ti!

LIRIO SELVAGEM disse...

Obrigada por visitar o meu cantinho!
Também adorei o seu...
Senti-me como se estivesse num jardim, até senti o perfume do Algarve na Primavera!
beijos no seu coração e volte sempre!

Graça Pires disse...

Amiga Benó, adorei vir aqui ao seu jardim. Obrigada por mo indicar. Voltarei mais vezes. Um beijo.

Dad disse...

Olá amiga algarvia como eu!

Gostei tanto de ver as "nossas estevas"!

Imagina que eu tive, durante anos, em Lisboa, estevas em vasos que floriam no tempo delas e me traziam o cheiro bom das nossas serras algarvias.

Beijinho,