sábado, 23 de maio de 2015

Fome

 
 
 
 


Vieram de longe ou não pois o mar está tão perto. Não sei! Tanto faz!
Começaram por observar o terreno, pairando lá no alto ou planando.
Foram necessários alguns dias para observação do terreno, tal como os espiões disfarçados precisam estudar o seu campo de ação para depois agir, assim elas fizeram.

Uma ave, duas, não mais, vindas das alturas, passavam em voos rasantes sobre o relvado, sem pousar, asas abertas, bicos aduncos prontas a apanhar o que quer que estivesse colocado, propositadamente, para lhes chamar a atenção, numa tigela sobre o espaço onde as crianças jogam à bola.
Sobre o verde da esperança.
Chegavam ordenadas em pequenos bandos, na sua fina penugem branca ou não. Tanto faz! Executavam pequenos saltos e corridas como se fossem atletas de salto em comprimento e procuravam a melhor posição para atacar a comida.


 

Já familiarizadas com o ambiente, mas um pouco amedrontadas, observam as redondezas, pousam e, logo, começam as zangas, o bater de asas, o grasnar para estabelecer hierarquias no ataque ao alimento.
Macho ou fêmea, tanto faz!
As mais humildes afastam-se e esperam a sua vez de debicar o que ficou e são as mais ousadas que comem primeiro e os melhores bocados.
Grasnando alto e em bom som vencem as mais fortes, sempre. As outras ficarão com os restos da abastança.

As sobras são para os mais fracos.
 
fotos e texto de Benó
 
 
 

 

 

.

5 comentários:

Catarina disse...

Por vezes, sao muito atrevidas.
Bom fim de semana : )

Graça Pires disse...

As gaivotas agora andam por todo o lado para encontrarem alimento. Gostei tanto do seu texto, amiga Benó...
Um beijo.

Graça Sampaio disse...

Linda e sempre renovada a Natureza!
O texto está muito bonito e muito apropriado. Nem sei dizer se é o texto que ilustra as fotos ou se são as fotos que ilustram o texto....

Simbiose...

Beijinhos

✿ chica disse...

Muito lindo e como é bom poder tudo isso observar! bjs, chica e linda semana!

Pérola disse...

Reflexões para fazer parar.

Beijinhos