terça-feira, 20 de agosto de 2013

Calor


Gretas, rugas, socalcos a desenharem figuras geometricamente diabólicas na pele da terra abrasada pelas labaredas dardejantes do sol.

A crosta terrestre retrai-se, expande-se, cresta, morre de sede e anseia pelas frescas águas do outono. Secam os ribeiros, definham as plantas e, dos trilhos percorridos pelos caminhantes curiosos em mergulhar na bela flora da costa vicentina, solta-se e anda no ar uma poeira vermelha queimada pelo calor que nos suja e se cola à pele.

É o verão que nos oferece a beleza tórrida destes dias sem vento tão habitual aqui, no cabo.

foto e texto de Benó

2 comentários:

Beatriz Bragança disse...

Querida Benó
Mudou a sua fotografia:está muito bonita!
O seu texto é uma descrição maravilhosa do que têm sido estes últimos dias,no Algarve.
Muitos parabéns pela forma como escreve!É uma delícia ter o privilégio de ler os seus textos!
Tenha uma boa semana.
Beijinhos da
Beatriz

Vieira Calado disse...

Olá, amiga!
A esta hora, creio, já começou a chover, no Cabo.
O Verão já lá vai...
E também há flores de Outono...
Beijinho para si!