sábado, 24 de maio de 2008

Trava-linguas

Recordo de, quando era criança, me ensinarem aquelas lengalengas ou trava-linguas, da mais simples à mais difícil e que eu, menina brincalhona, mas sempre ávida de novas aprendisagens, tentava decorar e dizer sem me enganar.
Com a experiência fiquei a saber que teria de dizer devagar pois se as dissesse rapidamente saía asneira e eu iria corar envergonhada, como era costume. Ainda me lembro de algumas:
O rato roeu
A rolha da garrafa
Do rei da Rússia


Debaixo da pipa está uma pita
Pinga a pipa, pia a pita,
Pia a pita, pinga a pita
.

Esta burra torta, trota
Trota, trota a burra torta,
Trinca a murta, e murta brota,
Brota a murta ao pé da porta.

E por aí fora.
Conjuntos de palavras, sem significado nenhum para mim mas, que eram aprendidas naquela cantilena tal como se aprendia a tabuada e que tão bem resultava.

Hoje, tentarei passar aos meus netos o saber articular esta nossa difícil lingua mãe, tal como me foi ensinado.
Entendo que nos cabe a nós, mais velhos, preservar todos os valores, incluindo mesmo, os mais populares, desta nossa lingua tão rica em sonorização.
Assim, juntei ao dois rapazes mais velhos (um com 7 e outro com 6 anos) e, disse-lhes este trava-linguas que tem para mim um som muito especial:
O tempo perguntou pró tempo, quanto tempo o tempo tem, o tempo respondeu pró tempo, que o tempo tem tanto tempo, quanto o tempo tem também.

Ficaram deliciados, riram imenso, pediram para repetir e ficou quase decorada a lenga-lenga.

Para terminar deixo-vos com esta:

Sabendo o que sei e sabendo o que sabes e o que não sabes e o que não sabemos, ambos saberemos se somos sábios, sabidos ou simplesmente saberemos se somos sabedores.

Divirtam-se e
Sejam Felizes!

7 comentários:

Å®t Øf £övë disse...

Numa altura em que através do novo acordo ortográfico tentam matar a nossa lingua, resta-nos a nós ir passando de boca em boca estes "trava-linguas" que fazem parte da cultura portuguesa.
Bjs.

Um Momento disse...

E sorri convosco pois também eu muitas vezes me enganei a tentar dizer rápidamente esses "trava -linguas":))))))))
Saia cada asneira que nem imaginas:)))
Boas recordações desses tempos que de alguma forma tentamos manter presentes através dos nossos:))))
Um beijo muito grande minha Querida Benó e aos teus meninos também:))))))))

(*)

O Profeta disse...

Uma voz quebra o silêncio
Um espelho retêm a beleza
Vi com os olhos fechados
A fúria da minha incerteza

Fecham-se as janelas de poente
Este nevoeiro galga o pensamento
Uma semente solta num ribeiro
Corre no incerto de cada momento


Deixo-te uma doce acalmia


Mágico beijo

laida disse...

Por acaso conheço algumas,
a do rato conheço,
debaixo da pipa tambêm,
haviam outras que eu sabia, estou qui a matutar e não me consigo lembrar agora.
As crianças devem achar graça,
é que essas coisas agora não se ouvem nas escolas,
tem que ser mesmoas avós.
beijos

Vieira Calado disse...

Também sabia (e ainda sei) de cor algumas dessa brincadeiras.
Há que passá-las aos jovens.
Daqui lhe envio uma beijoca

Nilson Barcelli disse...

E havia tantas lengalengas...

Agora nem sei como é, mas parece-me que as crianças não ligam nenhuma a essas coisas.

Beijinhos.

APO (Bem-Trapilho) disse...

eu tb adoro trava-línguas, desde criança... e esse ultimo fez-me lembrar um brasileiro que é:
"o sábio soube saber que o sabiá sabia assobiar" (isto dito com sotaque brasileiro fica ainda mais engraçado). obrigada por alguns que eu desconhecia. eu gosto tanto deste tema (lenga-lengas e trava-línguas) que até ando a pintar umas t-shirts para as crianças com estes temas! :) passa no meu blog para veres.
bjinhos