sexta-feira, 14 de outubro de 2011

A figueira

Outono, outubro, amêndoas, nozes, batata doce, cheiro a mosto.
A figueira já se despiu, assim como a maior parte das árvores do pomar. Os seus braços semi nus erguem-se aos céus numa prece muda para que a chuva não tarde.
Um figo aqui e ali, uma ou outra folha mais apegada à mãe, está assim a figueira, retrato fiel dum outono que fez um casamento perfeito com o verão.
Até quando durará esta união em que um é totalmente superior ao outro?

Por enquanto, vão-se entendendo e o calor vai tendo superioridade mas, parece-me que o frio e as chuvas não tardarão e depois, os céus chorarão, as ruas ficarão alagadas, as praias desertas e a figueira perderá por completo as suas folhas que atapetarão a terra sequiosa de água e nutrientes.


O verão partirá numa despedida rápida.

5 comentários:

retriever disse...

wonderfull blog, saluda del Belgica

O Árabe disse...

Bela foto, Benó, e belo texto! :) E, fica certa, o verão voltará; assim como voltam os amigos. :) Boa semana!

Nilson Barcelli disse...

Está quase... a chuva não tarda... mas o verão foi bem longo.
Gostei do teu texto, muito bonito.
Beijos, querida amiga.

Nilson Barcelli disse...

Parece que vem amanhã...
Querida amiga Benó, desejo-te um bom fim de semana.
Beijos.

Eliziane disse...

Adoro árvores, adorei a sua e seu texto! Bjs,

Eliziane

www.genuinoblogdaeli.blogspot.com