sábado, 15 de março de 2008





Numa calma tarde desta primavera que, a medo, se vai instalando entre nós, resolvi ir ver como estavam as flores campestres caminhando, principalmente, pela estrada que nos leva ao Cabo de S.Vicente, onde poderia encontrar a flora autóctona desta região.
Fiquei deslumbrada! Vi o rosmaninho todo florido, embora pequeno, rasteiro, que o vento não o deixa crescer muito; goelas de lobo silvestres (coelhinhos) ,que são raras;

o chorão que se está a tornar uma invasora , com a sua flor amarela e tantas outras. Mais, na zona urbana, encantei-me com as papoulas, os malmequeres,a borragem e as flores das malvas,

além da erva azeda que, embora a flor já se encontrasse fechada naquela hora da tarde, não deixava de colorir o espaço que ocupava com o seu amarelo tão bonito.

Foi um belo passeio!

Deixo-vos as fotos e a singeleza da quadra popular:

Papoilas que o vento agita

Não me canso de vos ver

Há lá coisa mais bonita

Que ser simples sem saber.

2 comentários:

O Profeta disse...

O Sol abandonou o céu
A Lua ironiza no celeste
Soltas perversas vontades
Cruzam a tua vida agreste


Convido-te a partilhar a minha visão da forma em
como a vida às vezes é perversa para algumas mulheres…

Bom domingo

Doce beijo

Vieira Calado disse...

Olá, amiga!

Venho desejar-lhe uma boa Quadra Pascal.

Beijinhos