sexta-feira, 11 de março de 2016

Sopra o vento


Entras no pátio sem pedir licença e à porta do meu quarto assobias toda a noite. Ouço-te quando me deito e, se durante o meu sono acordo, continuo a escutar-te em gemidos dolorosos como a pedires para entrar e na minha cama te deitares. Já me habituei aos teus lamentos, já não me atemorizas nem metes medo. Brinca com as folhas, dança com elas, faz equilíbrio nos fios aéreos que ligam as moradias e por onde as pessoas se escutam umas às outras. Continua a assobiar, sê indiscreto quando espreitas por debaixo das saias das mulheres vestidas no seu traje domingueiro e em alegres grupos se dirigem para a missa, continua irritável quando levantas o pó da rua obrigando as pessoas a tapar o nariz e a limpar os olhos às mangas, varre a areia da praia, podes fazer tudo isso que já não me irritas. Estou imunizada aos teus clamores, vento frio e desagradável que ultimamente tanto me tens apoquentado.

 
                                             foto e texto de Benó

7 comentários:

✿ chica disse...

Muito lindo te ler e ver a foto! Sensibilidade pura! beijos, lindo fds! chica

Elvira Carvalho disse...

Um excelente texto.
Ultimamente o vento tem andado agreste também por aqui.
Um abraço e bom fim de semana

Graça Pires disse...

Uma bela elegia ao vento, amiga Benó! Gostei de ler este seu texto tão poético.
Um beijo.

Justine disse...

Vamos lá ver se ele tem vergonha, te ouve e fica mais calmo:-)))))))))

Ana Freire disse...

Não aprecio vento... mas adorei o texto, sobre ele... que o descreveu na perfeição...
E a imagem, está perfeita!... com aquele efeito... enaltecendo a diagonal... muito harmoniosa, em termos visuais!
Beijinhos! Continuação de uma boa semana!
Ana

✿ chica disse...

Voltei pra avisar que teu céu entrou l´[a agorinha! Obrigadão! beijos, chica

http://ceuepalavras.blogspot.com.br/2016/07/ceu-da-beno.html

Roselia Bezerra disse...

Bom dia, querida!
Até o que nos torna apoquentados dá um belo texto!
Bjm muito fraterno