quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Comunicação


                                                                                                          foto da net

 
Dão-se os bons dias, desejamos as boas noites, um bom fim de semana não a um, mas a cem, duzentos, infinitos amigos espalhados por esse mundo virtual, graças à internet. Comunicamos com todos, mitigamos as saudades de quem está longe vendo-nos no pequeno écran do computador, via éter.
Temos os blogues onde tratamos de culinária, de desporto, jardinagem, arte, música, literatura e por aí fora. Sentimos a opinião de quem nos “segue” .  
Nunca estamos sós. Com os telemóveis chamamos os bombeiros, uma ambulância, conversamos quer estejamos dentro ou fora de casa, na rua ou no quintal. Já não se guardam fotos em álbuns que se tornaram uma antiguidade. Transportam-se connosco para onde quer que se vá, assim como livros, jornais, revistas sem pesarem nem fazerem volume no saco de viagem.

Mas há sempre o reverso da medalha.
Com o uso e abuso deste modo de comunicar, fica o  receio de que possa perder-se o doce contacto pessoal e familiar entre pais e filhos, marido e mulher, irmãos, amizades e se vá esquecendo “como é doce a tua voz”.

Esperemos que esta geração de jovens adolescentes , pequenos seres protegidos e amados pela família, se lembrem sempre  como se escreve com um lápis, como fazer cálculos mentais e, principalmente, de como é agradável dar um abraço, ouvir e dizer: AMO-TE! 
Fica o apelo: Não se esqueçam de conversar como beijam: com a boca.


7 comentários:

Catarina disse...

a doce voz vai-se perdendo aos poucos...

✿ chica disse...

Sensacional o teu final! Tantas verdades aqui! Adorei! bjs, chica

Miss Smile disse...

Um texto muito sábio e muito bem escrito que reflete sobre os riscos das novas formas de comunicação.

Um beijinho

Graça Sampaio disse...

Muito bem lembrado, Benó!!!

Beijinho.

Ana Freire disse...

Verdade, Beno!...
Um texto bem pertinente e actual...
Vivemos em permanente conexão com o mundo... muitas vezes desligados, de quem temos ao lado.
No outro dia, num restaurante, estava cada membro da família, sem trocar palavra, praticamente... partilhando a sua refeição... com a sua respectiva rede social...
Dá que pensar, mesmo... nestas novas gerações... que já vêm com uma rede social atrás... será que terão uma estrutura emocional adequada e preparada para isso?...
Confesso que as redes sociais, ainda não me seduzem... fico-me pelo blog, e pouco mais...
Beijinhos! Bom fim de semana!
Ana

Graça Pires disse...

Adorei a sua mensagem, amiga Benó. Tão actual e no contexto que se vive...
Beijo.

Justine disse...

É tudo uma questão de equilíbrio, Benó! Tudo tem o seu lado perverso, e cabe-nos a nós, que sabemos isso, ensiná-lo aos jovens! infelizmente há educadores - pais e professores - que se esquecem disso...
um abracinho