domingo, 16 de agosto de 2015

Gaivotas em terra


São pássaros do mar, habituados aos ventos e suas correntes, às brancas espumas da maresia, marujos de docas e cais onde restos de peixes caídos de algum cabaz das traineiras lhes servem de refeição. Pousadas sobre as águas dos mares ora calmas ora onduladas, passeiam-se e embalam-se.

Juntam-se em grupo para conversar na encosta da arriba frente ao mar.
Ouvi dizer que são prenúncio de tempestade quando sobrevoam terra com o seu forte grasnar. Ou sinónimo de fome, penso eu.


foto e texto de Benó

8 comentários:

✿ chica disse...

Adoro as gaivotas no ar ou na terra! Linda! bjs, ótima semana,chica

Graça Pires disse...

No mar ou em terra, as gaivotas são sempre tão belas...
Um texto lindíssimo, minha amiga Benó.
Um beijo.

Graça Sampaio disse...

Adoro ver (e fotografar) as gaivotas! E recuso-me a ligar aos velhos ditado populares!

Beijinhos

Maré Viva disse...

As gaivotas, amadas por uns e odiadas por outros...
Fazem parte da paisagem e quanto a mim são indispensáveis, nada seria igual, sem elas!
Beijos.

A Casa Madeira disse...

Acho esse pássaro muito bonito.
Já tem post novo lá na casa.
Bom final de semana.
Abraços
Janicce.

Elvira Carvalho disse...

A minha avó dizia"Gaivotas em terra, tempestade no mar" Mas os tempos mudam, as cidades crescem, as gaivotas incomodam os turistas à beira mar. Disseram-me que foram colocados nos locais onde elas se alimentavam, geralmente perto das lotas, um ruído ultra-sónico, imperceptível ao ouvido humano, mas que as afasta desses locais, pelo que penso que será mais por fome que elas andam em terra, do que pelas tempestades.
Um abraço e uma óptima semana

Miss Smile disse...

Gostei tanto do seu texto :)
Talvez não se saiba tudo sobre as gaivotas, mas elas povoam o nosso imaginário.

Um beijinho

Ana Freire disse...

São elas que me acordam... todos os dias... entre as cinco e meia, e as seis da manhã, por aqui... passando a noite no telhado do meu prédio... de manhã quando acordam, e partem para um novo dia... o alvoroço, é tremendamente barulhento...
Mas sem qualquer dúvida... são um despertador, que adoro ouvir... mesmo em tempo de férias...
Beijos, Benó!
Ana