domingo, 16 de maio de 2010

A malva branca

Aninhada aos pés da piteira, protegida pelos seus longos e espinhosos braços, a malva branca sorri para o Sol. Ele, quando se levanta da sua oceânica cama de água, ainda molhado e ensonado, espreita por entre as cortinas das árvores e beija-a.
Às vezes, ela fica rosada.

1 comentário:

Vieira Calado disse...

Foi das primeiras flores que conheci bem.

A minha avó tinha-as

em frente de casa, no campo,

onde vivi dois anos, em miúdo.

Belos tempos!

Beijocas